Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química

O uso abusivo de substâncias é caracterizado como uma doença crônica e progressiva que além de causar diversos prejuízos à saúde física e mental. Inclusive, existe uma relação entre dependência química e comorbidades psiquiátricas.

O que são comorbidades psiquiátricas?

Comorbidade é o nome dado para duas ou mais doenças associadas. No caso da comorbidade psiquiátrica, são dois ou mais transtornos mentais que acometem uma pessoa e se associam.

Um estudo da Secretaria do Estado de São Paulo, divulgada pelo Terra, aponta que metade dos dependentes químicos têm doenças psíquicas associadas:

  • Foram analisados os perfis de 1,3 mil pacientes tratados nos últimos três anos na Unidade Estadual de Álcool e Drogas do Hospital Lacan, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Entre as mulheres, o percentual é ainda maior, 56% apresentaram doenças como depressão, bipolaridade e transtorno obsessivo-compulsivo. Entre os homens o índice foi 50,1%.

Dependência química e comorbidades psiquiátricas

A dependência química pode ser tanto a causa do desenvolvimento de um transtorno mental, quanto pode acometer pessoas que já possuem transtornos.

Na primeira situação a pessoa já é dependente de alguma substância e acaba desenvolvendo um transtorno mental a partir disso. Um exemplo é o abuso do álcool, que atua como um depressor de humor, podendo aumentar o risco de depressão e até mesmo suicídio.

Já no segundo cenário uma pessoa já acometida, por exemplo, pela depressão busca fuga dos sintomas do transtorno psicológico através do uso de drogas.

O Dr. Hamer Palhares membro da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) em entrevista para UNIAD (Unidade de Pesquisa de Álcool e Drogas) explica, “há uma relação bidirecional, onde uma condição aumenta o risco da outra, criando uma espécie de feedback negativo ou círculo vicioso.”

Segundo a Sociedade Internacional de Profissionais de Prevenção e Tratamento do Uso de Substância (ISSUP), os principais transtornos associados ao uso abusivo de drogas, são:

  • a depressão, os transtornos de ansiedade, os transtornos de conduta, o déficit de atenção e hiperatividade e a esquizofrenia.

Além desses, os transtornos alimentares e transtornos da personalidade também são comuns entre os dependentes químicos.

O tratamento da dependência química associada à comorbidades psiquiátricas

Em primeiro lugar é importante realizar um diagnóstico preciso, como  afirma o Dr. Harmer “Este não é um diagnóstico simples de se fazer. Por vezes, a história é bastante clara e a distinção temporal auxiliará a discernir claramente o que veio primeiro.”

A partir do diagnóstico clínico se revela a relação correta da causa e reação. Esse cenário vai ditar o tratamento ideal para cada pessoa e situação específica. Independente do cenário é primordial a intervenção médica e terapêutica.

Esse conjunto de tratamentos alinhados vão atacar todos as faces dos transtornos diagnosticados para garantir qualidade de vida para o paciente.