Dependente Químico Manipulador: Saiba o que fazer!

Muitas são as famílias que se encontram desestruturadas e desesperadas por conta das consequências geradas pelo comportamento do dependente químico e seu comportamento de manipulações.

O início do uso de drogas ilícitas, quando mais cedo ocorre na vida da pessoa, mais chances tem de evoluir para dependência.

No processo do vício, o organismo do dependente químico desenvolve tolerância à droga. Isso significa que pequenas quantidades já não trazem mais o efeito que ele deseja e ele, então, passa a usar doses cada vez maiores.

Assim, o indivíduo que desenvolveu dependência começa a apresentar comportamentos padrão, observáveis em toda pessoa na mesma situação.

Esses comportamentos visam a obtenção de mais droga, e geralmente passam por cima de qualquer valor ou laço familiar e afetivo.

Início insidioso – fique atento aos sinais

Muitas vezes, os familiares dos dependentes químicos demoram a perceber que ele está em dependência.

Isso ocorre porque a dependência química não apresenta sinais e sintomas físicos muito claros, como vemos em grande parte das doenças.

A dependência se manifesta por sinais mais difíceis de perceber. Ocorrem principalmente sintomas quanto à sociabilidade – como omitir, mentir, apresentar descontrole emocional e manipular as pessoas.

O comportamento de manipulação sugere dependência química, assim como uma febre sugere a presença de uma infecção.

É muito importante que os familiares percebam esse hábito de manipulação, para procurar ajuda profissional especializada o quanto antes. Assim, há mais chances de seguramente tirar o indivíduo do vício.

O dependente químico faz de tudo para obter a droga

Quando o indivíduo usa repetidamente uma substância, geralmente em quantidades cada vez maiores, ele se encontra numa condição que chamamos de adicção.

A pessoa adicta, quando privada da droga, passa a ter sintomas de sofrimento e de compulsão muito difíceis de resistir.

Diante dessa compulsão, o indivíduo muitas vezes passa por cima de valores, moral e afeto. Roubando, mentindo, enganando e prejudicando até mesmo as pessoas mais próximas a ele.

Droga e estímulos associados a seus efeitos adquirem um controle potente sobre o comportamento do indivíduo.

Ele, na maioria das vezes, tem vontade de deixar o vício, mas essa vontade está muito enfraquecida, e a droga a encarcera em sua prisão. É preciso uma luta intensa e contínua para se libertar.

O dependente químico manipula as pessoas à sua volta

A manipulação é um dos comportamentos que os dependentes químicos mais apresentam. São capazes de mentir e convencer não só as outras pessoas, mas também a si mesmos.

A manipulação é muito perigosa especialmente porque o próprio dependente aos poucos vai se convencendo de que sua mentira é verdade.

Esse comportamento de manipulação visa facilitar o caminho para a obtenção de drogas. Por exemplo, convencendo com ‘’chantagem emocional’’ os outros a ajudarem a alimentar seu vício.

O comportamento manipulador pode acontecer no período de dependência franca, ou após algum tempo de abstinência. Portanto, evitar esse hábito é muito importante também para prevenir recaídas.

Como é o comportamento manipulador do dependente químico?

Esse comportamento é uma máscara para conseguir mais droga. Ele começa aos poucos, com pequenas coisas.

O dependente começa pegando o troco do mercado, mentindo sobre algum motivo para pegar dinheiro emprestado, ou até se oferecendo para pagar uma conta para alguém e pegando o dinheiro para si.

Mas, assim como a adicção progride, aumenta também a gravidades dos meios usados pelo dependente para conseguir as doses de droga necessárias para obter os efeitos desejados por ele.

Em torno do dependente químico formam-se vários codependentes.

Codependência é o termo que se usa para designar familiares afetados ou que influenciam o comportamento do dependente químico

O codependente costuma atuar como um facilitador, contribuindo para o comportamento aditivo do indivíduo. Ele fornece drogas diretamente ou dá os meios para adquirir a droga.

Outra forma de facilitar a dependência é a relutância em enxergar e aceitar a situação, e assim não contribuir com a busca por um tratamento.

O dependente químico e a manipulação dos familiares

O relacionamento familiar já tem, naturalmente, suas dificuldades e percalços. Quando nesse contexto se insere a dependência química, o convívio pode se tornar muito complexo e dolorido.

É preciso se informar sobre esse risco e estar atento aos sinais. Assim, é possível evitar cair nas armadilhas.

Muitas vezes, ao perceber os primeiros pequenos sinais de manipulação, o familiar prefere ignorar.

No entanto, é preciso aceitar essa difícil situação. Ignorar não apenas impede de ajudar, mas colabora para piorar o vício do dependente químico.

É preciso lembrar que o amor não se traduz apenas em carinhos e agrados, mas sobretudo em desejar e promover o bem do outro, e isso inclui buscar tratamento quando necessário.

O papel dos pais do dependente químico

É indispensável que o casal com um filho dependente químico cuide muito bem da sua relação.

É comum que o dependente se utilize das divergências dos pais, e até coloque um contra o outro, sempre que isso puder resultar em ‘’benefício’’ para si.

É preciso tornar forte a união dos dois pais enquanto casal, para resistir a essa manipulação do filho.

Isso não só é importante para proteger o próprio casamento, mas é indispensável para que não caiam nas armadilhas de manutenção do vício do filho, mas possam ajudá-lo a sair dessa situação.

Os pais – assim como toda pessoa próxima do dependente – precisam deixar claro a ele que nenhuma manipulação funcionará. Isso é importante para o dependente entender que não tem poder sobre as pessoas à sua volta.

O tratamento do dependente passa pela assistência à sua família

O primeiro passo que a família precisa dar, como já vimos, é abrir bem os olhos e aceitar a realidade, para poder mudá-la. Pois quanto mais se demora para buscar tratamento, mais difícil é a recuperação.

Mas é claro que esse processo é doloroso, difícil e bastante complexo.

É comum que o familiar tenha muitas dúvidas quanto a melhor forma de ajudar o dependente. E, além disso, sua própria saúde mental pode ser prejudicada se ele não aprender a lidar com a situação.

Por conta desses fatores, é importante que os familiares também procurem ajuda de pessoas especializadas em tratamento de dependência química, para saber a melhor forma de agir.

Por exemplo, para lidar com o dependente é necessário aprender a não encarar os conflitos com ele pelo lado emocional.

Sobretudo não se deve levar pro lado pessoal, pois o dependente químico passa a ver todos como meios para se chegar a um fim, sem sentimentos envolvidos.

Portanto, suas ações – apesar de erradas – não são ataques diretos a determinada pessoa por ter algo contra ela.

Para compreender esses e outros pontos importantes do relacionamento com o dependente químico – especialmente quanto à manipulação, a ajuda profissional é sempre bem vinda também para os familiares.

Ainda é necessário que ele faça um tratamento com uma clínica especializada, que irá ajudá-lo a melhorar a saúde.

Gostaria de obter mais informações sobre o nosso tratamento?!

Entre em contato agora mesmo com a Clínica Life Style e solicite mais informações sobre o como funciona o processo da clínica de recuperação.